Etiquetas

domingo, 11 de janeiro de 2015

BIRDMAN OU (A INESPERADA VIRTUDE DA IGNORÂNCIA) (Birdman or (THe Unexpected Virtue of Ignorance) de Alejandro González Iñárritu

A fim de revitalizar a sua carreira, Riggan Thomas, em tempos uma famosa estrela de cinema graças à sua interpretação do super-herói BIRDMAN, está a dirigir, escrever e interpretar uma peça na Broadway. Ao mesmo tempo tem que lidar com os seus problemas pessoais e familiares.

Quem diria que o realizador Alejandro González Iñárritu era capaz de nos dar uma comédia? Quem viu os seus AMORES PERROS, 21 GRAMS ou BABEL, decerto não esperaria esta mudança de registo. Mas ainda bem que ele mudou e assim nos dá uma das melhores comédias dramáticas dos últimos anos. Não estamos no terreno da gargalhada fácil, mas sim no do humor negro, corrosivo e assustadoramente real.

Adoro a forma como a acção fluí e os personagens, os reais e os da peça, se cruzam num ritmo por vezes vertiginoso, sempre acompanhados por uma omnipresente bateria que reflecte o estado de espírito de Riggan Thomas. O trabalho de montagem, de Douglas Crise e Stephen Mirrone, é excelente!

É curioso como um mexicano, Iñárritu, conseguiu tão bem captar o espírito da Broadway, tanto a confusão dos bastidores, como o frenesim das ruas e as personagens que a habitam, sejam eles turistas, actores ou críticos teatrais. Está lá tudo e só nos faz ter vontade de voarmos para lá. Se fossemos como o Birdman poderíamos fazê-lo. Os amantes dos super-heróis também não foram esquecidos, com apontamentos a dar para o fantástico.

O elenco não podia ser melhor e todos, sem excepção, brilham. Claro que, no papel principal, Michael Keaton  tem um regresso em grande às luzes da ribalta, revelando-se um melhor actor do que aquele de que eu me lembrava. É inevitável comparar o seu BATMAN e a sua carreira à do personagem que interpreta, mas sem dúvida que isso estava na mente de Iñárritu quando o escolheu. Em grande forma está também Edward Norton e Zach Galifianakis muda graciosamente de estilo. Como a filha de Riggan Thomas, Emma Stone continua a revelar ser uma das melhores actrizes da sua geração e faz muito tempo que Naomi Watts não estava tão bem. Andrea Riseborough, como a amante/colega de Riggan, prova mais uma vez ser um talento a ter em conta e Amy Ryan, como a ex-mulher de Riggan, é extraordinária.

Um sério candidato aos Óscares é já um dos melhores filmes de 2015. Classificação: 8 (de 1 a 10)






1 comentário:

  1. "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)" tem uma história bastante boa mas com o passar do tempo torna-se algo confusa e aborrecida
    4*

    Lê mais em: http://osfilmesdefredericodaniel.blogspot.pt/2015/01/birdman-ou-inesperada-virtude-da.html

    ResponderEliminar